quarta-feira, 8 de agosto de 2007

mujeres y amor

Adorei esta poesia. Deste grande poeta e anarquista peruano.

Amor hace de la vida
Un morir amargo y lento;
Mas qué horrorosa la vida
De quien no vive muriendo!

(GRAFITOS, Manuel González Prada)

2 comentários:

JH disse...

yeah!

chapante!

eros e tanatos...

mais perto do que podemos supor.

abs

Clarice A. disse...

Lindo e verdadeiro .
Por mais que eu viva morrendo e
angustiada prefiro ter a esperança de encontrar esse amor , mesmo que para isso , eu morra depois.

um beijo.