sexta-feira, 1 de junho de 2007

Das carcaças do desagravo

Maldito vinho seco. Chagas emocionais! Malditas sejam. Maldita seja a semiótica, a linguística e os professores de língua portuguesa. Maldito sejam os duendes de jardim e os onanistas intelectuais. E antes que eu transforme isso num pobre manifesto eu preciso partir para outros estágios da percepção. Depois do segundo gole é perfeito.

Teorize. Teorize seu merda. Teorize sobre suas, nossas, vossas, aftas emocionais! Teorize! Teorizar lhe dá uma robustez intelectual medíocre! Medíocre esté me entendendo? No natal você se lembra? No natal? O parto, a vitória e você lá, esparramado como se não ligasse para o amigo oculto, para a ceia, para o frango repleto de hormônios estatelado sobre a mesa seu niilista de merda! Seu pedaço de entulho poético mal acabado!

Quando crescer me chame para eu carregar seu caixão de neon; esdrúxulo perdido.

Continuar? Não? Diga alguma coisa. Como se arqueja e estrebucha como um símio, caricato, imitando o pai, a mãe e os parentes no dia de ação de graças. Mas graças ao que? Se não há similaridade no torto, no feio... Na conta não paga e no tropeção que derruba o rádio da mamãe.

Quando você dançar para o rádio novamente eu vou fazer café, servido? Servido seu filho da puta? Quer café? Tome café! Tome seu maldito! Tome! Vou esparramar café sobre sua corcunda maldita! Maldita! Como se regorzija, comendo empadas, pastéis e risolhes de deboche!

Eu te reconheceria há léguas de distância, léguas, com seu cheiro pútrido infeccionar nossa festa. Nossa família. Nossa honra, nossa tradição! Você é uma mácula sombria dentro de nossa árvore genealógica. Um pútrida, um espúrio! Um poço de fezes! Uma aberração sombria que insiste em manter-se vivo para nos atormentar! Canalha! Cachorro! Fedido! Ferrado! Judas! Mendigo! Tu é um abissal a procura de um buraco imundo! Chagas nojentas tu se alimenta! Atroz imundície tu representa, a procura de uma carcaça para destilar teus vermes corporais!!!

Morre maldito! Morre encarnação da desgraça, da desonra e da devassidão! Morre de vez!!!!!!

Só por que quebrei o aparelho de som da mamãe irmão?

É estrupício! SÓ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

4 comentários:

Edgerunner disse...

Amigo Mr. Durden...

Você precisa ter mais amor no coração. Sua avó nunca te disse isso?

Não!? Ah.. mas a tia já!

Você deveria queimar seus livros de Franz Kafka e abrir sua mente para Roberto Shinyashiki.

É tão bonitinho.

Mas com esse irmão ai, eu acho que você se dá melhor com a ruiva!

Te vejo no inferno.. See ya.

Edgerunner disse...

Aaaah! Olha o visitor counter dele!

Já vi que seguiu o conselho. Ótimo número o seu ali.

Você é muito traquina mesmo!

(adoramos gírias idosas)

Mr. Durden Poulain disse...

pois é edgerunner... essas gírias antigas são o maior "barato"... rs

mas o número de visitas a este humilde blog apesar de aparentemente mentiroso é real... por que contabiliza-se ao meu antigo blog www.1936.blogger.com.br

é claro que em todos esses anos.. 3 ou 4... metade dos acessos deve ter sido de minha autoria...

kafka morreu jovem e queimou o que escreveu. será que terei a mesma sorte?

JH disse...

texto fétido, pútrido, estúpido, maldito e...

muito bom!

falÔ!