sábado, 18 de outubro de 2008

Entre uma origem e um desejo

Não é o que parece
Pois se parecesse
Seria coisa do coração
E o coração

O coração só mente

Não é tão ruim
Ruim quanto transparece
Nem tão inédito

Pois se inédito fosse
O coração alquebrado
Diria que é mentira
Pois sim, seria mentira

Se o vidro quebrado
E o grito no escuro
Fizessem um silêncio arrastado

Parte dos muros, dos finais de semana
E dos corações
Assemelhariam-se à coisa qualquer
A algo já meio despedaçado

Estou entre uma origem e um desejo!
Sou um muro de final de semana
Sou tão ruim quanto posso transparecer

Sou um silêncio arrastado
Arrastado e se assemelhando a uma mentira
Não sou o que pareço
Pois o coração

O coração! Só mente!

Um comentário:

Boneca sem manual disse...

e o cartaz?
odeio teu silêncio arrastado que se assemelha a uma mentira.
mesmo.
e odeio isso de te conhecer mais pelos escritos.
Ah, sei lá, as coisas são muito estranhas.
Estou num momento ruim.
Um beijo nos cabelos.