sexta-feira, 23 de março de 2007

As pazes de Terturiano

Terturiano cortava cenouras.
E resolveu cortar Márcia um dia
A delegacia de mulheres não gostou
E resolveram cortar Terturiano da sociedade
Jogaram-lhe numa cela, com dezesseis Terturianos
Para cinco metros quadrados
Enquanto o juiz resolvia quem iria cortar desta vez

Numa briga na penitenciária
Cortaram Terturiano com quatro iguais facas opostas.
E cortaram Terturiano em nove pedaços indefectíveis.
Márcia, no canal onze, assistiu a rebelião com suas quatorze cicatrizes.
E acendeu seis velas de sete dias para agradecer os cinco palmos de terra rasa
Que deus no nono dia de descanso lhe reservou

Um comentário:

jh disse...

bom exemplo de como um enredo pro jornal O Povo pode ser poeticamente aproveitado. ;-)

falÔ!